Coluna de Hoje

DEPUTADO PEDE AI-5 E GANHA ‘AMOSTRA GRÁTIS’ DO STF

A prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), autor de declarações e propostas absurdas, reabre o debate sobre os limites da liberdade de expressão, as garantias do mandato parlamentar e as prerrogativas do Supremo Tribunal Federal (STF), que agora investiga, denuncia e julga, além de invadir competências dos outros poderes. Por ironia do destino, o deputado que prega o retorno do AI-5, ganhou uma “amostra grátis” do que se fazia na vigência do Ato Institucional nº 5, de triste memória.

SUSPEIÇÃO AFASTADA

Criminalistas apostavam que ministros atacados alegariam suspeição e ministros do STJ seriam convocados para julgar a prisão do deputado

AS PRÓPRIAS MÃOS

Um advogado ironizou: “o STF realiza o sonho dos que defendem a ‘Justiça direta’, em que as vítimas julgariam seus supostos algozes”.

CHAMA UM ADVOGADO

Sentindo-se ofendido, ministro do STF deve processar o autor, como o fez Joaquim Barbosa contra um blogueiro em 2014. Prender é exagero.

PODE ATÉ LIVRAR, MAS…

A Câmara não fará do deputado do baixo clero bolsonarista um “baluarte” contra o STF. Silveira não é exatamente o “rei da simpatia” na Casa.

BIDEN ESPERA BOLSONARO EM ABRIL, DIZ JOHN KERRY

Na reunião virtual com os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores), o assessor da Casa Branca para Meio Ambiente, John Kerry, afirmou que o presidente norte-americano Joe Biden aguarda a presença do presidente Jair Bolsonaro em Washington, em 22 de abril, para o evento Earth Summit (Conferência da Terra). A reunião, nesta quarta (17), marcada por muita simpatia, foi considerada também “muito produtiva” e durou cerca de 40 minutos

SEM TRADUTORES

O bate-papo entre Salles, Araújo e John Kerry se deu na língua do ex-secretário de Estado, sem a participação de tradutores.

AMOR À PRIMEIRA-VISTA

A reunião teve momentos de descontração, como quando John Kerry contou haver conhecido sua mulher, a moçambicana Tereza, na Rio-92.

PRIMEIRO PASSO

A Rio-92, realizada durante o governo de Fernando Collor, foi a primeira conferência de peso de líderes mundiais sobre questões ambientais.

O QUE PODE ACONTECER

Sobre o caso de Daniel Silveira, a ser definido na Câmara, nesta quinta (18), há duas hipóteses: soltura e envio do caso ao conselho de ética ou, menos provável, cassação de deputado sem prestígio entre os colegas.

BOLA NO CHÃO

Líderes do Centrão passaram toda a quarta dedicados a uma “operação panos quentes” em relação ao deputado que ofendeu o STF. Esses políticos veem exagero na atitude do deputado e na reação do STF.

EU SOU VOCÊ AMANHÃ

A tendência na Câmara é mais pela soltura do que pela manutenção da prisão. Não por apreço a Daniel Silveira, mas porque não faltam deputados lembrando que o preso pode ser qualquer um deles amanhã.

MANDOU BEM

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, mandou bem ao dizer nesta quarta que o episódio envolvendo o deputado preso não será elevado a crise institucional. Mas deixou claro que a prisão é medida excessiva.

VALE LEMBRAR

O deputado Daniel Silveira foi preso no âmbito do inquérito aberto pelo próprio STF, onde o ministro Alexandre de Moraes é ao mesmo tempo o delegado (presidente do inquérito) e o juiz responsável pelo caso.

TRÊS EM UM

No julgamento da prisão, ontem, Alexandre de Moraes lembrava um delegado ou promotor usando de toda ênfase para sustentar a acusação contra o suspeito. A dúvida é se terá serenidade para julgar o caso.

GOSTO SE DISCUTE

A revista Time, que em 1938 elegeu Adolf Hitler o “homem do ano”, relacionou o político Guilherme Boulos, ex-sem-terra, como um “líder do futuro”. Só no futuro mesmo, pois ano passado perdeu para prefeito.

CENSURA VIRA LEI

A Austrália aprovou lei que obriga redes sociais a remunerar sites de notícias por postagens (inclusive de terceiros) na plataforma. Conclusão: todos os sites australianos de notícias foram bloqueados do Facebook.

ENTÃO ESTÁ COMBINADO

Ministro do STF pode chamar o presidente da República de “genocida” ou “autoritário”, mas xingar ministros da Corte não pode.

 

 

Fonte: coluna-claudio-humberto