Mais de 6.400 cientistas e médicos fizeram uma carta aberta, divulgada nesta quinta-feira (8), solicitando que o governo do Reino Unido e dos Estados Unidos estimulem o isolamento vertical. A ideia é resguardar idosos e doentes e permitir a circulação de jovens acima de 18 anos permitindo que o vírus se espalhe e gere a imunidade na população.

De acordo com o site Folha de Pernambuco, o texto que defende a reabertura dos países foi coordenado por professores de medicina da Universidade Harvard (EUA), Martin Kulldorff, e Stanford (EUA), Jay Bhattacharya, além da epidemiologista da Universidade Oxford (Reino Unido), Sunetra Gupta.

É destacado no documento que o isolamento horizontal, produz “efeito devastador” na saúde física e mental de longo e curto prazo.

“Manter essas medidas em vigor até que uma vacina esteja disponível causará danos irreparáveis, com os desprivilegiados desproporcionalmente prejudicados.”, disse o especialista.

Segundo os doutores, esse impacto produzirá um maior excesso de mortalidade nos próximos anos. “Manter os alunos fora da escola é uma grave injustiça”, diz o texto.

Os pesquisadores dizem que o conhecimento sobre o novo coronavírus avançou e hoje já se sabe que a vulnerabilidade à morte por Covid-19 “é mais de mil vezes maior em idosos e enfermos do que em jovens”.

“Na verdade, para as crianças, Covid-19 é menos perigoso do que muitos outros danos, incluindo a gripe.”

Como a maioria da população não corre o risco de morrer se for infectada, essa parcela deve continuar suas vidas normalmente, argumentam os cientistas.

A discussão sobre retomar a vida normal dos mais novos surge também no momento em que o governo brasileiro permitiu que escolas mantenham aulas remotas até o final de 2021.