Cremero confirma surto de infecção após mutirão de cirurgias oftalmológicas realizado pelo governo de RO

Por g1 RO

Cirurgias oftalmológicas — Foto: Brenda Esaki/Agência Brasília

O Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) confirmou, nesta quarta-feira (9), um surto de infecção em pacientes que participaram do mutirão de cirurgias oftalmológicas realizado em fevereiro pelo Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Segundo o conselho, pelo menos 40 pessoas foram diagnosticados com endoftalmite, uma infecção oftalmológica pós-cirúrgica. Até o momento, 13 deles foram positivados para a bactéria pseudômonas, a mais grave na especialidade.

De acordo com o Cremero, o departamento de fiscalização recebeu a denúncia sobre o caso e decidiu apurar o estado do local onde as cirurgias são realizadas. Os médicos responsáveis também foram ouvidos e relataram a rotina de trabalhos.

“Um número abusivo de cirurgias realizadas por dia, em que fica difícil manter a segurança dos procedimentos e pacientes”, apontou a presidente do Conselho, Ellen Santiago.

Através das informações colhidas in loco, o Cremero pretende abrir uma sindicância para apurar possíveis infrações ao Código de Ética da medicina. Também foi enviada uma recomendação para que mutirões de cirurgias oftalmológicas sejam suspensos, por segurança, até o esclarecimento dos casos de endoftalmite.

“É importante salientar que para essa cirurgia ser bem realizada, o paciente precisa ser preparado. Ele não pode simplesmente ser atendido em um dia, fazer apenas um exame oftalmológico e ser operado no outro dia”, ressalta Ellen Santiago.

“Os mutirões podem acontecer desde que os pacientes sigam todas as etapas de um procedimento cirúrgico como se ele fosse o único a ser realizado no dia”, completa.

 

O que diz o Governo de Rondônia?

 

g1 entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), questionando a situação. A pasta respondeu por meio de nota que no dia 23 de fevereiro de 2022 foi detectado o primeiro caso suspeito de endoftalmite (infecção oftalmológica pós cirurgia).

“Imediatamente a Sesau suspendeu cautelarmente as novas cirurgias oftalmológicas pela empresa contratada, bem como notificou a contratada para apresentar o relatório dos casos e medidas de tratamento. Além disso, também foi aberto processo para apuração dos fatos e das respectivas responsabilidades”, consta na nota da Sesau.

A Sesau destacou ainda que os pacientes identificados “estão devidamente assistidos e em tratamento para conter a infecção de acordo com os protocolos clínicos orientados”, e acrescentou que está semanalmente realizando supervisão sobre o quadro clínico de cada paciente.

“Até o momento a infecção está controlada, sem risco de agravamento nos casos ou perda de visão total dos infectados. O Governo de Rondônia enfatiza que realizou 14 mil cirurgias oftalmológicas e que não houve, no momento presente, mais casos de endoftalmite”, consta na nota.