Estaleiro “vitrine” do projeto de desenvolvimento de Lula segue a caminho da falência

Controladores do Estaleiro Atlântico Sul são acusados pelos credores da dívida de R$2 bilhões de ocultar patrimônio para fraudar sua recuperação judicial

Localizado no litoral sul de Pernambuco, perto de Porto de Galinhas, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) foi prometido pelo governo Lula como “vitrine” de um projeto de desenvolvimento. Mas era só outra mentira. Agora, seus controladores são acusados pelos credores da dívida de R$2 bilhões de ocultar patrimônio para fraudar sua recuperação judicial. Para conter as perdas, a credora Engita Naval Construções vai propor a falência do estaleiro, na assembleia de credores desta quarta-feira (3). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Decisão do juiz Eduardo Burichel, de Ipojuca (PE), aponta indícios da estratégia do EAS de driblar credores e evitar o pagamento de dívidas.

O EAS deve ao BNDES cerca de R$1 bilhão e estaria sando a controlada Consunav, também sob recuperação judicial, para manter caixa mínimo.

Credores desconfiam de uma jogada do estaleiro, para tentar empurrar a empresa para investidores estrangeiros, dos EUA e Oriente Médio