Para Lula, responsabilidade de caso Daniel Silveira é da Câmara

Ex-presidente afirmou em entrevista nesta quinta-feira (18/2) que não é papel do STF mandar prender pessoas e que a Suprema Corte “não pode se rebaixar a isso”

 (crédito: Reprodução)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), após o parlamentar atacar o Supremo Tribunal Federal (STF), e disse não ser papel da Suprema Corte mandar prender pessoas. Durante entrevista ao UOL, nesta quinta-feira (18/2), Lula afirmou que a prisão de um deputado deve seguir o fórum especializado e lembrou que é papel do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), dar continuidade ao caso. Para Lula, o deputado deve ter o mandato cassado e, então, ser julgado pela “justiça normal”.

“A minha opinião pessoal é a seguinte: eu acho que não é o papel da Suprema Corte mandar prender pessoas. Sobretudo deputados, porque têm fórum especializado. Ou seja, o importante é que o presidente da Câmara reúna a Câmara e decida o que fazer com esse cara, afasta esse cara e esse cara vai ser processado normalmente”, disse. Lula falou ainda ser responsabilidade do presidente da Câmara e da Comissão de Ética da Câmara punir o deputado.

Lula pontuou que, quando eleito, um deputado deve respeitar as instituições do Estado e a Constituição Federal. “Quando você é eleito deputado, você sabe que você precisa respeitar as instituições e a Constituição. Se esse cidadão não estava preparado para respeitar, não poderia ser deputado. Então, que, agora, a Câmara o julgue e tire o passaporte dele, tire a imunidade dele e deixe ele ser julgado pela justiça normal”.

Bolsonarismo

Durante a entrevista, Lula foi questionado sobre a semelhança entre as falas do deputado Daniel Silveira e as do general Eduardo Villas Bôas, quando afirmou que “quanto mais igualdade de gênero, mais cresce o feminicídio. Quanto mais se combate a discriminação racial, mais ela se intensifica. Quanto maior o ambientalismo, mais se agride o meio ambiente”.

Lula afirmou ser essa a linha de pensamento do bolsonarismo: “Essa é a origem intelectual e mental do bolsonarista. Eles não têm respeito pelas coisas, eles não conseguem respeitar aqueles alcances que a sociedade cumpre de todo um ponto de vista democrático. Então, a questão de gênero é ruim para eles, a questão de negros é ruim para eles, a questão da igualdade é ruim para eles, meio ambiente é ruim para eles. A política deles é a política deles, ou seja, só eles prestam, só eles falam a verdade. É o fanático”.

Para o petista, os apoiadores do presidente Bolsonaro fazem “parte daquela bula da sociedade extremamente fanática que fala qualquer bobagem que vem pela boca, não mede as consequências do que fala”. O ex-presidente disse ainda que esse tipo de comportamento cria a impressão de que a sociedade brasileira não aprendeu com os quase 30 anos de democracia.

*Estagiária sob a supervisão de Andreia Castro

fonte: correiobraziliense