PESQUISAS? GUARDEI PARA REFLETIR.

Não há como dizer que não chegamos ao fundo do poço, quando o assunto é pesquisa eleitoral, em nosso país, lá atrás o descondenado candidato a presidência, dizia por ai que em suas reuniões falava de números em relação a fome, e outros aqui no Brasil; e não estava nem ai para a plateia que o escutava, afinal eles acreditavam, sendo ou não verdadeiros.

Uma pesquisa revelada esta semana, (XP) em que diz ser Lula mais honesto do que Bolsonaro, é realmente de bater na cara dos Brasileiros, pois todos nós, sabemos do que aconteceu nos governos petistas, valendo lembrar que o chefe maior sr. Lula, foi condenado por 32 juízes, ainda como prova a quantidade de dinheiro, onde alguns ladrões fizeram acordo de leniência e devolveram o dinheiro aos cofres públicos, afora os escândalos de corrupção terem sido considerados os maiores da história do mundo.
Estamos fartos de saber, que a liberdade e os direitos políticos devolvidos ao descondenado, não passou de uma manobra dos ministros ideologistas, que defendem abertamente a esquerda, parecendo os mesmos mais com uma facção política do que com uma corte de justiça,  os fatos estão aí.

É impossível as cabeças pensantes deste país, não se indignarem com tamanha afronta, com tamanha tapa na cara do povo brasileiro, que nos faz de verdadeiros idiotas, que simplesmente não mantém pelo nosso povo o mínimo respeito, tornando público, o que só poderia ser verdadeiro, caso os entrevistados fossem escolhidos a dedo, e pertencessem sim, as hostes da quadrilha que durante tantos anos assaltou os cofres públicos, chegando a quase quebrar literalmente o país.

Que cada brasileiro reflita, e que não entregue seu voto a opinião destes institutos, alguns dos quais apenas envergonham o nosso país, levados que são não pelo amor ao nosso país, mas sim pelas trintas moedas de Judas, que com certeza não deixam de tilintar em suas mentes doentias.
Não podemos deixar nos levar pela vontade de proprietários de institutos de pesquisas, que demonstram sim, toda sua vontade de voltarmos a um passado, que tanto mal fez as terras de Cabral.