Fiocruz começará a produzir IFA sexta, mas Butantan deixou para 2022

Instituto Butantan teve mérito de viabilizar a Coronavac, mas não investiu na própria autonomia para produção da vacina

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Ministério da Saúde, adotou a estratégia de produzir o IFA, insumo da vacina, já a partir desta sexta (15), adquirindo autonomia para produção de vacinas contra Covid. Já o Instituto Butantan, que teve o mérito de viabilizar a vacina Coronavac, não investiu na própria autonomia, fixando para 2022 sua produção de IFA. Por isso, o Butantan está longe de cumprir entregas de Coronavac prometidas em 2020. A previsão eram 60 milhões de doses até fevereiro. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

No anúncio do acordo, a promessa era 6 milhões de doses em outubro e IFA suficiente para produção de mais 40 milhões até dezembro.

As 14 milhões de doses complementares seriam enviadas pelo Sinovac, prontas para aplicação, até fevereiro deste ano, totalizando 60 milhões.

Segundo dados divulgados pelo Butantan, foram entregues menos da metade das doses prometidas até fevereiro, antes da “crise diplomática”.

matéria: diariodopoder