Governo de Rondônia garante avanço no entendimento entre indústrias de laticínios e produtores do setor leiteiro

O Governo de Rondônia garantiu a abertura de um diálogo entre produtores rurais do setor leiteiro e das indústrias de laticínios com intuito de buscar uma solução para o impasse que estava gerando a crise do leite no Estado. Logo no início da semana, o Poder Executivo intermediou uma reunião, realizada na segunda-feira (26) visando buscar um acordo e, consequentemente, resolver o impasse instalado na cadeia produtiva do leite no Estado. A reunião ocorreu no auditório do Palácio Rio Madeira, conduzida pelo superintendente Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Sérgio Gonçalves.

Conforme destacado pelo superintendente da (Sedi) a interveniência do Governo do Estado foi necessária para a proposição de encaminhamentos em função da situação enfrentada pelos produtores de leite do Estado, que tiveram o preço do produto entregue aos laticínios reduzido e estavam mobilizado em uma paralisação. De um lado, estavam os representantes dos laticínios por meio do Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Rondônia (Sindileite). Do outro, os produtores, representados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro) e pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon).

A interveniência do Governo do Estado garantiu que as discussões evoluíssem se chegando a um termo com proposta apresentada pelos representantes das indústrias de laticínios que chegou a ser questionada pelas federações, mas a cada momento a pauta evoluía para o fim do bloqueio causado pelos produtores de leite. “Alcançamos um resultado bem melhor ao que antes estava sendo apresentado pelas indústrias. Sabemos que o momento é difícil para todos os segmentos e o Governo pacificou essa reunião com ambas as partes buscando uma solução que fosse boa para os dois lados, as indústrias e produtores”, salientou Sérgio.

Todo o impasse entre indústria de laticínios e produtores do setor leiteiro teve início em meados de fevereiro deste ano, devido ao preço que passou a ser pago pelo litro de leite. Como não se chegava a um  avanço nas negociações entre as categorias e a situação estava se agravando. Para não permitir um maior agravamento, o Governo de Rondônia atuou com eficiência e garantiu o encontro de representantes das categorias.

Reunião do Governo foi fundamental para debates entre os produtores e indústrias

Foram mais de 5 horas de reunião, quando o Sindileite apresentou um valor que seria garantido na compra do litro de leite para colocar fim ao impasse sendo rejeitado pelas federações que representam os produtores. Os representantes das indústrias de laticínios chegaram a apresentar outra proposta estabelecendo então garantias para o produtor de leite, com o valor de referência do Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite do Estado de Rondônia (Conseleite-RO) com acréscimo de R$ 0,05 (cinco centavos) no período de 90 dias. No caso deste mês de abril, por exemplo, o valor de referência do Conseleite é de R$ 1,2560. Com o acréscimo de R$ 0,05, ficaria R$ 1,3060 o valor mínimo que será pago pelo litro de leite.

Mesmo ponderando quanto à proposta apresentada pelas indústrias, representantes da Fetagro e Faperon concordaram com o pedido feito pelo Governo do Estado quanto a permitir com que cada produtor pudesse ter garantida a livre manifestação de poder negociar diretamente com as indústrias, ou seja, garantindo o direito ao produtor poder negociar diretamente o produto com os laticínios, partindo do valor apresentado pelo Sindileite.

AVANÇO NAS NEGOCIAÇÕES

O produtor rural Rogério José ressaltou a importância da interveniência do Governo do Estado em busca de uma solução para o impasse que vinha mais de um mês atingindo o setor. “Tudo o que queríamos era ser ouvido. O Governo do Estado colocou frente a frente os representantes das indústrias e os dos produtores de leite e isso foi fundamental para iniciarmos a conversa. Não chegamos ao que pretendíamos, mas percebemos que avançamos pois antes, as indústrias queriam pagar pouco mais de R$ 0,60 pelo litro de leite. Depois da reunião, foi apresentada a proposta que hoje chega a R$ 1,30 o litro. A ação do Governo foi importante nesse processo de discussão”, disse o produtor que enfatizou a cadeia produtiva do leite do município de Machadinho do Oeste.

Quanto ao momento de greve que estava ocorrendo em alguns pontos do Estado, Rogério José, disse que logo após a reunião proposta pelo Governo do Estado, voltou a reunir-se com a categoria e deixou claro que a proposta não era a que eles reivindicavam, mas destacou o avanço nas negociações. Rogério garantiu que a paralisação dos produtores que ocorreu em alguns pontos da BR-364 foi desfeita. “Chegamos a um acordo de que cada um irá negociar diretamente com as indústrias, partindo do valor apresentado na reunião”, disse o produtor, enfatizando que os produtores contrários à proposta irão manter a paralisação dentro de suas próprias propriedades.

A reunião contou com a participação dos deputados estaduais Chiquinho da Emater e Jhonny Paixão, representando a Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia; do Secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani; do diretor-presidente da Emater, Luciano Brandão; Secretário de Estado de Finanças, Fernando Luís; do presidente da Faperon, Hélio Dias; da presidente da Fetagro, Alessandra Lunas; superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) José Valterlins e dos representantes do Sindileite/RO.

materia:.rondonia.ro.gov.br