Na CPI, Randolfe cita Cazuza: ‘Transformam o país inteiro em um puteiro’

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, citou o cantor e compositor Cazuza durante sessão, desta quarta-feira (15/9), que escuta o depoimento do suposto lobista da Precisa Medicamentos, Marconny Albernaz de Faria.

“Me chamam de ladrão, de bicha, maconheiro, transformam o país inteiro em um puteiro, porque assim ganha mais dinheiro”, citou Randolfe ao resumir a corrupção sistêmica no Brasil.

De acordo com o senador, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que prometia uma mudança, apenas mergulhou na corrupção e prejudicou ainda mais o país.

Ao postar o vídeo com a frase nas redes sociais, Randolfe afirmou que ouvir Marconny foi confirmar a corrupção do governo. “Estar diante do senhor Marconny hoje, foi ficar diante de uma síntese perfeita do governo Bolsonaro. Lá fora eles bradam combate à corrupção. Dentro do governo, montam vultosos esquemas para se beneficiar! Ah, Cazuza! Tu cantou essa pedra!”, escreveu.

O dia da CPI

 

O advogado Marconny Albernaz de Faria, suspeito de ser lobista da Precisa Medicamentos, depoe à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, nesta quarta-feira (15/9).

O vice-presidente da CPI Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento de convocação, ressalta que a comissão busca investigar a possível existência de um mercado interno no Ministério da Saúde que busca facilitar compras públicas e beneficiar empresas, assim como o poder de influência da empresa Precisa Medicamentos antes da negociação da vacina indiana Covaxin.

Em mensagens trocadas com Marconny obtidas pela comissão, o ex-secretário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), José Ricardo Santana, menciona que conheceu o suposto lobista da Precisa na casa de Karina Kufa, advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O dia da CPI

 

O advogado Marconny Albernaz de Faria, suspeito de ser lobista da Precisa Medicamentos, depoe à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, nesta quarta-feira (15/9).

O vice-presidente da CPI Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento de convocação, ressalta que a comissão busca investigar a possível existência de um mercado interno no Ministério da Saúde que busca facilitar compras públicas e beneficiar empresas, assim como o poder de influência da empresa Precisa Medicamentos antes da negociação da vacina indiana Covaxin.

Em mensagens trocadas com Marconny obtidas pela comissão, o ex-secretário da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), José Ricardo Santana, menciona que conheceu o suposto lobista da Precisa na casa de Karina Kufa, advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

fonte: correio brasiliense